Tempo sem tempo

 

Escrevo nas paredes do universo, ele tem fim sim. E lá escrevi palavras soltas ao vento, coisas que nunca tive coragem

de falar... e acabou num grito abafado em mergulhos de preces no mar... evaporaram todos sentimentos presos, desabafos,

e desejos contidos. Virou a chuva ácida pra molhar quem nunca ouviu... inundou de loucura quem só pensou em brincar no

sol... e corroeu as pedras duras que foram arremessadas docemente em rios fervendo... pedras duras...

(to ficando meio subjetivo demais)...

Perco meu tempo num lamento bobo, meu ponto fraco me sufoca... não se ensina amor se não viveu...

Se me colocou aqui, esqueceu de me ensinar a lidar sem tempo... me comove o que lentamente se move...

Mas me machuca o que imediatamente desejo... Se perde fácil a tanto tempo que não vejo...

Caminha sem eixo... até um dia que olhar pra trás e entender que não existe mais o centro...

E que o encantamento vive no suspiro momentâneo. No descompasso....

Não me ensinou a brincar, a noite dura quando quero dormir e curta quando quero dançar...

Você se apaixona em um minuto, que pode durar uma vida, e se decepciona, onde pode se atingir outras...

(isso ta começando a parecer frases que você lê atrás de caminhão)

 

(cansei, esse texto nao tem destinatário..antes que alguem se atinja!!)

[ ver mensagens anteriores ]