O velho comandante de cem mil batalhas

 

Noites e mais noites amanhecendo com felicidades engarrafada...

Você fecha meus olhos e me inspira em fantasias que vão tão longe, até onde nem poderia alcançar...

E todo dia pergunto seu verdadeiro nome, e por quanto tempo poderia viver sem essa resposta..

Princesa do mundo encantado...mil anjos envolta, e jamais acreditaria nisso vivendo no meu mundo bruto... Eu sou o troglodita

que comanda um velho barco num oceano turvo... Eu sou o pirata cheio de cicatrizes de cem mil batalhas...

Eu sou o  capitão habitando minhas cavernas escuras e solitárias... O riso de ouro desdentado...

As tempestades não me assustam tanto quanto seu sorriso tão longe. E mesmo nesse mundo bruto solitário do mar,

escrevo cartas sem destino certo. Imaginando o quão confortável sua cama de plumas, os faixos de luz quente invadindo

seu quarto silhuetando seu rosto e entregando aos poucos seu rosto, seu corpo, sua beleza nua...

Ah Dona Princesa, adentro as  noites seu castelo impenetrável, jogo no eco meu canto dolorido que chegue junto com a brisa,

que bata logo a maior das tempestades e assompre essa vela o mais rapido possivel pra costa...

E só minha sombra na porta não te assuste, sem a nitidez não enxerga  todas essas cicatrizes... não ascenda a luz..

Sinta minha pulsação ao invés de tentar enxergar minhas cicatrizes...

Elas não embelezam, só me protegem de feridas que já fecharam...

[ ver mensagens anteriores ]